SIGNIFICA...

ÉTICA: Parte da Filosofia que estuda os
fundamentos da moral.

MORAL: Ciência dos deveres do homem.
Bons costumes; Honestidade; Estado do espírito; Modo de proceder com justiça.

DIREITO: O que podemos exigir em conformidade com as leis ou a justiça.

LEI: Preceito ou regra estabelecida por direito; Norma, obrigação.

JUSTIÇA: Prática e exercício do que é de direito.


1 de abr de 2011

Morar Carioca - sustentabilidade ambiental para favelas até 2016

Fábio Motta / AE
Fábio Motta / AE
Mariana Costa, do R7 | 29/01/2011 às 06h00 (Fonte: R7)
Comunidades terão reciclagem, reaproveitamento de água da chuva e piso permeável
Com a audaciosa meta de urbanizar todas as comunidades do Rio nos próximos dez anos, o programa Morar Carioca entrou em sua segunda-fase nesta sexta-feira (28) com a expectativa de gerar grandes mudanças no uso do espaço, no cotidiano dos moradores e no visual de dezenas de favelas da cidade. 

Já estão definidas diretrizes para intervenções em transporte, saneamento e ambiente que serão comuns a todas as comunidades e incluem práticas sustentáveis de construção, reciclagem do lixo e reorganização do espaço urbano e melhorias como a criação de áreas livres em locais muito povoados.

O programa é resultado de um convênio entre a Secretaria municipal de Habitação e o IAB (Instituto de Arquitetos do Brasil), que selecionou escritórios de todo o país para participar do projeto. As 40 equipes selecionadas foram diplomadas nesta sexta pelo prefeito Eduardo Paes na sede do instituto, no Flamengo, zona sul do Rio. 

- O que estamos fazendo é fundamentalmente dar dignidade para uma grande e importante parcela da população que vive em condições sub-humanas.

Os escritórios selecionados começam a trabalhar em março com base em estudos sobre urbanização já apresentados na primeira etapa. Cada um deles vai se debruçar sobre uma região específica da cidade para desenvolver os projetos definitivos.

Todas as favelas vão contar com mini-centrais de recolhimento e reciclagem de resíduos sólidos e lixo orgânico, que poderá ser utilizado como adubo para o reflorestamento nas comunidades onde houve desmatamento da vegetação nativa. 

Prédios comerciais abandonados serão reaproveitados para uso residencial

Chamadas de Núcleos de Ambiente e Tecnologia, essas estações preveem ainda o reaproveitamento de água da chuva. Além disso, as favelas também poderão ganhar uma pavimentação permeável. 

Segundo o secretário municipal de Habitação, Jorge Bittar, as obras vão incluir a implantação de sistemas de drenagem de águas pluviais como um das medidas para prevenir deslizamentos nas favelas mais íngremes. 

- Queremos novas soluções para problemas antigos. 

Os arquitetos pretendem aproveitar prédios comerciais abandonados para criar novas moradias nas favelas onde não houver mais espaço para construção de novas casas, beneficiando regiões onde a violência provou a fuga de indústrias e empresas, como Benfica e São Cristóvão, na zona norte, bairros contemplados no Morar Carioca.

Também serão distribuídas cartilhas aos moradores com instruções sobre técnicas de construção sustentáveis que evitem vazamentos, umidade e melhorem a ventilação das casas. 

Para facilitar a mobilidade, está prevista a criação de estações intermodais que vão reunir todos os meios de transporte que circulam dentro da favela, como ônibus, vans e moto-táxis.

O critério de escolha das comunidades que serão beneficiadas até a realização dos Jogos de 2016 é a proximidade dos equipamentos olímpicos e de vias importantes da cidade, de acordo com Bittar. 

- Não queremos que as olimpíadas deixem um legado apenas em equipamentos esportivos, mas também um legado social para a cidade.

O secretário afirmou que serão priorizadas na segunda fase do Morar Carioca comunidades de Jacarepaguá e das Vargens e o entorno da Cidade de Deus, na zona oeste, os morros São João, Quiteto e Matriz, todos na zona norte e algumas favelas da zona sul, como Tabajaras, Cabritos e Chácara do Céu. 


O total de investimentos na urbanização chega a R$ 8 bilhões até 2020